Escrita Criativa

Recentemente inscrevi-me num curso de escrita criativa. Nem sabia muito bem o que era isso, mas sempre gostei de escrever e queria fazer um curso que estimulasse esse prazer pela escrita e que me desse ferramentas para escrever mais e melhor.

Bastou uma pesquisa no Google para encontrar a Companhia do Eu. Depois de navegar pelo site, que sinceramente deixa muito a desejar de tão pouco intuitivo que é, lá acabei por encontrar o curso de escrita criativa tamanho M, que ia começar em Março. Então não perdi mais tempo, atirei-me de cabeça e inscrevi-me, sem saber muito bem para o que ia.

Bom, posso dizer que o curso correspondeu às minhas melhores expectativas. Para começar, o organizador e um dos formadores do curso, Pedro Sena-Lino (que também tem o seu blog), é fantástico e transmite uma dinâmica muito interessante às aulas.

Só para terem uma ideia, decorridos pouco mais de 5 minutos da primeira aula, o Pedro virou-se para nós e disse: “Agora imaginem que são uma aspirina efervescente e que estão a cair num copo de água. Têm 3 minutos para escrever um texto sobre o que está a pensar a aspirina enquanto cai”! Confesso que fui apanhado de surpresa e a única coisa que consegui escrever foi isto:

“Vou morrer. Vou ficar desfeita em bocadinhos. Será que vai ser mau? Talvez consiga desviar-me da água. Hmmm, mas isso parece um bocado difícil. Talvez se eu tiver uma conversa com a água consigamos chegar a um acordo. Estou cada vez mais próxima.”

Em todas as aulas temos que escrever sempre dois ou três textos, sempre com o tempo muito limitado. O nível das pessoas que frequentam as minhas aulas é elevado, vê-se que já têm alguma experiência de escrita e recursos que eu não tenho, mas estou lá é para me divertir e aprender coisas novas e para já tem sido uma experiência deveras interessante!